top of page
  • Foto do escritorPaulo Todai

Projeto de Lei 07/2024 busca modificar Imposto Sobre a Transmissão "Causa Mortis" com alíquotas que variam entre 2% e 8%

Atualizado: 7 de mar.


A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo publicou no diário oficial na edição de 02 de fevereiro de 2024 o Projeto de Lei 7/2024, que busca alterar as alíquotas de ITCMD “Causa Mortis” que vão variar entre 2% e 8%, de acordo com o valor da transmissão.


A justificativa do Projeto de lei, visa promover uma reformulação nas alíquotas do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD) no Estado de São Paulo, com o intuito de atender às alterações promovidas pela Reforma Tributária (Emenda Constitucional nº 132, de 2023).


O presente projeto lei irá trazer alíquotas progressivas equivalentes ao valor do patrimônio a ser transmitido em caso de falecimento e com as seguintes faixas de valores fixados como base de cálculo:


- Até 10.000 UFESPs (até R$ 353.600,00), aplicação de alíquota de 2%: esta faixa busca assegurar uma tributação mais branda para patrimônios de menor expressão, permitindo redução para transmissões de menor valor.

- De 10.000 a 85.000 UFESPs (de R$ 353.600,00 a R$ 3.005.600,00), aplicação de alíquota de 4%: essa faixa continuará com o mesmo percentual aplicado atualmente, sem impor uma carga tributária excessiva.

- De 85.000 a 280.000 UFESPs (R$ 3.005.600,00 a R$ 9.900.800,00), aplicação de alíquota de 6%: continuando a progressão, nesta faixa aplica-se uma alíquota mais alta para patrimônios substanciais, mas mantendo um equilíbrio na tributação.

- Acima de 280.000 UFESPs (acima de R$ 9.900.800,00), aplicação de alíquota de 8%: a alíquota mais elevada nesta faixa reflete a capacidade contributiva robusta dos contribuintes com patrimônios significativos.


Conforme justificativa do Projeto de Lei “A progressividade fiscal é o alicerce dessa proposta, seguindo o princípio de que os impostos devem incidir de forma proporcional à capacidade econômica do contribuinte. Assim, as alíquotas propostas são delineadas de modo a refletir gradativamente a capacidade contributiva dos envolvidos na transmissão de bens e doações”.


Desta forma, as alíquotas propostas serão fixadas de modo a refletir gradativamente a capacidade contributiva dos envolvidos na transmissão de bens e doações; lembrando, que com a referida proposta, abre-se uma oportunidade de aproveitamento de se utilizar da atual alíquota de 4% para antecipar a transferência de bens para seus herdeiros de famílias que assim desejarem.


Clique no botão abaixo para ter acesso ao material.



14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page